Paraty360 - Fotos 360 de Paraty



 
 
MENU
Página inicial
alambiques
ateliers
bares
cachoeiras
casas
embarcacoes
escunas
igrejas
ilhas
marinas
operadoras-de-mergulho
pousadas
restaurantes
saveiros
 

Pousada Serra da Bocaina


Situada no antigo Caminho do Ouro, na estrada Paraty-Cunha, a apenas 5 minutos do centro histórico de Paraty, a pousada ocupa um amplo espaço, rodeado pelo Parque Nacional da Serra da Bocaina.


Conteúdo: Para quem está procurando sossego e conforto, em harmonia com a natureza, a Pousada Serra da Bocaina é um lugar ideal. Situada no antigo Caminho do Ouro, na estrada Paraty-Cunha, a apenas 5 minutos do centro histórico de Paraty, a pousada ocupa um amplo espaço, rodeado pelo Parque Nacional da Serra da Bocaina, que deu origem ao nome do estabelecimento. Do centro da cidade, pode-se chegar à pousada por uma ciclovia agradável, em meio à natureza. É um lugar tranquilo e seguro (distante das encostas da serra), com ambiente familiar e muita paz.

A pousada tem estilo rústico de interior, proporcionando, porém, conforto, requinte e qualidade de atendimento. Sua família poderá explorar as inúmeras atrações da região: o belíssimo centro histórico de Paraty, praias e ilhas inesquecíveis (com direito a trilhas, mergulho e passeios de escuna), cachoeiras, antigas fazendas e alambiques, o Caminho do Ouro, a gastronomia... Poderão usufruir momentos de puro encanto e descontração.

Todas as acomodações são espaçosas, confortáveis e equipadas (ar condicionado, ventilador de teto, TV, DVD, frigobar, chuveiro ótimo).

O terreno de 3 mil m² foi planejado para lhe proporcionar momentos de lazer e relaxamento. A pousada dispõe de uma infraestrutura completa: piscina, playground, brinquedoteca, salas de estar na casa principal, área comum coberta, pérgola no jardim, amplo estacionamento, além de um gerador de energia próprio e internet wi-fi.

O lugar perfeito para você e sua família descansar, recarregar as baterias e limpar a alma.

A pousada tem como objetivo fazer os hóspedes se sentirem “em casa fora de casa”.

Acomodações:

As suítes são espaçosas, confortáveis e totalmente equipadas com ar condicionado, ventilador de teto, TV, DVD, frigobar, banheiro amplo, chuveiro ótimo e hidromassagem nas suítes Luxo. Tudo é feito para que você tenha privacidade, sossego e conforto.

A Pousada Serra da Bocaina oferece quatro tipos de acomodações:

Standard Interno: localizadas na casa principal, as suítes casal ou triplas são simples porém confortáveis, totalmente equipadas, com janelas voltadas para o jardim.

Standard Externo: localizadas no anexo, são suítes espaçosas e confortáveis, ideais para famílias (podem acomodar até quatro pessoas).

Superior: ficam no primeiro andar da casa principal. Os apartamentos são amplos e com janelões para o jardim, mobília e decoração diferenciadas. Acomodam até quatro pessoas.

Luxo: no primeiro andar da casa principal, são apartamentos especiais com hidromassagem e vista panorâmica. Ideal para Lua de Mel ou a comemoração de uma data especial. Acomodam até quatro pessoas.

Lazer e Serviços:

A Pousada Serra da Bocaina dispõe de uma infraestrutura de lazer completa e segura:

Piscina, playground, brinquedoteca coberta, sala de TV (na casa principal), salas de repouso e de leitura, pérgola no jardim, além de um amplo estacionamento, um gerador de energia próprio e internet WI-FI.

A pousada oferece também serviços complementares, com o objetivo de lhe proporcionar uma ótima estadia: bicicletas adultas e infantis (uma ciclovia liga a pousada ao centro da cidade), DVDs adultos e infantis (quartos equipados com leitor DVD), serviço de bar (sanduíches, sucos, etc.), recomendação de agências turísticas e de passeios, dicas sobre a cidade, traslados, etc.

Paraty:

Paraty foi provavelmente descoberta pelos portugueses no dia de São Roque, 16 de agosto de 1531. O território do atual Município de Paraty era ocupado pelos indígenas guaianás, que se estendiam, para o Norte, até Angra dos Reis e, para o Sul, até o rio Cananéia do Sul.

Em 1597, Martim Correa de Sá empreende uma expedição contra os índios guaianás do Vale do Paraiba e em 1606, chegam os primeiros sesmeiros da Capitania de Itanhahém que começam a povoar a região, seguindo o sistema de Capitanias Hereditárias.

Por volta de 1640, os moradores são transferidos para um local mais favorável (onde hoje se situa o centro histórico), uma terra doada por Maria Jácome de Mello, que ao fazer a doação, teria imposto duas condições: que a nova capela fosse feita em devoção a Nossa Senhora dos Remédios e mantivesse a segurança dos índios guaianás. Infelizmente, apenas a primeira condição foi respeitada.

Em 1660, sob a liderança do Capitão Domingos Gonçalves de Abreu, o florescente povoado se rebela, exigindo a separação da vila de Angra dos Reis, a cuja jurisdição estava sujeito. Em 28 de fevereiro de 1667, a vila de Paraty é fundada, em torno à Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, sua padroeira. Convém salientar que Paraty foi a primeira cidade brasileira a obter sua autonomia política por rebelião popular.

No século XVIII, Paraty destacou-se como importante porto (chegou a ser o segundo do país) por onde se escoava, para Portugal, o ouro e as pedras preciosas vindo de Minas Gerais pelo “Caminho do Ouro da Piedade” Teve grande importância econômica, devido também aos inúmeros engenhos de cana-de-açúcar.

Porém, constantes investidas de piratas que se refugiavam em praias como Trindade, e elevados impostos fixados pela Coroa Portuguesa levaram à abertura de uma nova rota do ouro, que além do mais encurtava de 15 dias a viagem. Decaindo ao mesmo tempo a exportação de ouro, a partir da segunda década do século XVIII, Paraty foi perdendo importância.

Com o Ciclo do Café, a partir do século XIX, a cidade revive, temporariamente, seus prósperos dias de glórias coloniais.

Em 1870, devido à abertura de um novo caminho – desta feita, ferroviário – entre Rio e São Paulo, através do Vale do Paraíba, o antigo caminho pela Serra do Mar perde sua função, afetando de forma intensa a atividade econômica de Paraty.

A cidade vai à decadência com a Abolição, em 1888, causando um êxodo massivo. Dos 16.000 habitantes existentes em 1851, restam apenas 600 pessoas no inicio do século XX.

Paraty fica isolada por décadas. Enquanto abrem-se estradas pelo resto do país, continua se chegando a Paraty como na época colonial, de barco vindo de Angra dos Reis ou de estrada de terra vindo de Cunha, por trechos da velha estrada do ouro e do café.

Este isolamento involuntário foi, paradoxalmente, o que preservou não só a estrutura arquitetônica urbana da cidade como também seus usos e costumes.

Após a abertura da Estrada Paraty-Cunha, e principalmente após a construção da Rodovia Rio-Santos na década de 70, Paraty torna-se um pólo de turismo nacional e internacional.

Centro Histórico:

Patrimônio histórico nacional, o centro histórico de Paraty é uma joia da arquitetura colonial. As ruas, praças, igrejas e lotes residenciais foram projetados por engenheiros militares e todas as construções foram regulamentadas por lei. A arquitetura é relativamente simples, mas requintada, com belíssimos sobrados e casarões coloniais. Na época, lampiões movidos a óleo de baleia garantiam a iluminação das ruas de grandes pedras retangulares e irregulares (“pé de moleque”), invadidas pela água do mar nos dias de lua cheia, limpando a cidade. Repleto de construções seculares (séculos XVIII e XIX), o centro histórico é um lugar preservado, onde carros não transitam.

Sobrados coloniais e belíssimas igrejas se destacam. Cada uma das igrejas se destinava a uma classe específica: a Matriz Nossa Senhora dos Remédios era frequentada por pescadores e trabalhadores brancos; Santa Rita pelos mulatos libertos; Nossa Senhora das Dores pela aristocracia; Nossa Senhora dos Rosários e São Benedito pelos escravos.

Para conhecer melhor o Centro Histórico, um mapa interativo está disponível online.

Monumentos Históricos:

Matriz de Nossa Senhora dos Remédios: em 1646, Dona Maria Jácome de Mello doou uma área de terras para que fosse construída uma capela dedicada a Nossa Sra. dos Remédios. Foi ao redor desta capela que se formou o povoado de Paraty. A capela foi demolida em 1668 para dar lugar a uma igreja maior, cuja obra foi concluída em 1712. Porém, em 1787, esta igreja já era pequena para abrigar todos os fiéis de Paraty e iniciou-se então a construção de uma nova igreja maior e mais suntuosa. No dia 7 de setembro de 1873, a nova igreja foi entregue. Destacam-se na construção de estilo neoclássico, as torres e o fundo inacabados.

Igreja de Santa Rita: construída em 1722 pelos homens pardos libertos, foi a Matriz de Paraty até a conclusão da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios. Abriga o Museu de Arte Sacra de Paraty. O museu foi criado em 1973 e contém cerca de 200 peças em seu acervo, dentre elas prataria, ourivesaria, imagens e mobiliários.

Capelinha das Dores / Igreja de Nossa Senhora das Dores: localizada na Rua Fresca, foi construída no ano de 1800 por mulheres da aristocracia paratiense. Destaca-se o seu galo-catavento na torre. É também conhecida como “capelinha”.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito: erguida em 1722 e reedificada em meados de 1757. A Igreja está localizada na Rua do Comércio, de frente para a Rua Samuel Costa, no lugar mais central do Centro Histórico. Foi inicialmente a igreja dos escravos.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição: construída em 1720, é a igreja mais antiga da cidade, situada em Paraty-Mirim.

Igreja Nossa Senhora da Penha: esta igreja encontra-se na Estrada Paraty-Cunha guardando a entrada da trilha para a Cachoeira do Tobogã.

Os Passos da Paixão: são pequenos altares embutidos em prédios do centro histórico, fechados por portas que se abrem para a rua, destinados à Procissão do Encontro (ou dos Passos), na Semana Santa. Dos seis Passos originais, todos do século XVIII, restam apenas cinco, dois autênticos e três reformados. São abertos ao público somente durante a sexta-feira Santa.

Chafariz do Pedreira: construído em mármore branco, em 1851, para abastecer a cidade de água, conduzida em tubos de pedra talhada.

Forte Defensor Perpétuo: situado a 1 km de Paraty, construído em 1703, reconstruído em 1822, recebeu, nessa época o nome de Defensor Perpétuo em homenagem a D. Pedro I. Dos sete fortes que defenderam Paraty da invasão dos piratas é o único ainda existente. Abriga o Museu de Artes e Tradições Populares de Paraty.

Prédio da Antiga Caserna da Fortaleza da Patitiba (ex-cadeia): construção datada do início do século XVIII, é um dos elementos do quartel do ex-forte da Patitiba. Arquitetura militar de um pavimento, em planta quadrangular, ainda original.

Engenho Boa Vista: a 6 km de Paraty, data provavelmente do século XVIII. Foi um dos mais tradicionais alambiques da cidade.

Outras edificações: Prédio da Prefeitura e Câmara Municipal / Paço Municipal, Santa Casa de Misericórdia de Paraty, Sobrado dos Bonecos, etc.

Agenda Cultural:

Paraty se transformou nos últimos anos em um verdadeiro “polo cultural”. Sua agenda, rica em atividades multiculturais, conta com festas religiosas (Festa do Divino, Festa da Nossa Senhora do Rosário, Festa de Santa Rita), tradicionais (Festival da Cachaça) e festivais internacionais (FLIP-Festival de Literatura, Festival de Cinema, Festival de Jazz, etc.).

Paraty sempre está animada, em qualquer época do ano.

Passeios:

A região de Paraty oferece inúmeras opções de passeios, para todos os gostos e idades: passeios de barco pela baía, praias e ilhas, trilhas, cachoeiras, alambiques e fazendas, passeio pelo centro histórico, esportes radicais, mergulho, etc.

A Pousada Serra da Bocaina selecionou algumas opções de passeios, escolha o seu roteiro:

Estrada Paraty-Cunha e Cachoeiras
Alambiques e Fazendas
Caminho do Ouro
Turismo & Ecologia
Praias & Ilhas

Localização:

Vindo do Rio de Janeiro:

1ª opção: pela BR-101 (Rio-Santos) / 250 km / 3h30

No final da Avenida Brasil, pegar o inicio da Rio-Santos, na altura de Santa Cruz (70 km do centro do Rio / 1h). Uma vez na Rio-Santos, é só seguir reto, por aproximadamente 180 Km (2h30), passando por Itaguaí e Angra dos Reis.

2ª opção: pela Rod. Presidente Dutra e Rio-Santos / 250 Km / 3h30

Pegar a Linha Vermelha, no sentido aeroporto internacional até a Rod. Presidente Dutra, e andar por 70 km. Sair na altura de Piraí, em direção a Rod. Washington Luiz. Continuar até Angra dos Reis, para pegar a Rio-Santos até Paraty.

Chegando ao trevo de Paraty (rotatória), pegar a Estrada Paraty-Cunha à direita, no sentido oposto do centro histórico. A Pousada Serra da Bocaina fica a apenas 2 km do trevo, do lado esquerdo.

Vindo de São Paulo:

1ª opção: pela Estr. dos Tamoios (por Caraguatatuba) / 300 km / 4h30

Pegar a Rod. Ayrton Senna e a Rod. Carvalho Pinto (ou a Rod. Presidente Dutra). Na altura de São José dos Campos (depois de 100 km), sair à direita para a Estrada dos Tamoios. Depois de 70 km, na altura de Caraguatatuba, pegar a Rio-Santos até Paraty (120 km), passando por Ubatuba.

2ª opção: pela Rod. Oswaldo Cruz (por Taubaté e Ubatuba) / 290 km / 4h30

Pegar a Rod. Ayrton Senna e a Rod. Carvalho Pinto (ou a Rod. Presidente Dutra). Na altura de Taubaté (depois de 140 km), sair à direita para a Rod. Oswaldo Cruz. Depois de 95 km, pegar a Rio-Santos na altura de Ubatuba, até Paraty (70 km).

Chegando ao trevo de Paraty (rotatória), pegar a Estrada Paraty-Cunha à esquerda, no sentido oposto do centro histórico. A Pousada Serra da Bocaina fica a apenas 2 km do trevo, do lado esquerdo.


Endereço: Estrada Paraty - Cunha, km. 2


Telefone: (24) 3371-2931


Website: ver endereço do website


E-mail: ver e-mail de contato


Tags: pousada, serra da bocaina, paraty-cunha, cunha, mata, serra, natureza, caminho do ouro, pousada em paraty, pousada serra da bocaina, pousadas, bike, bicicleta, pousada rústica, tranquilidade, pousada familiar




Paraty360 é um guia de turismo especializado para planejamento, pesquisa e fornecimento de informações relacionadas com viagens em Paraty. Antes de realizar reservas, confirme as informações aqui existentes com os estabelecimentos mencionados. Todos os nomes de estabelecimentosas e suas marcas registradas são de propriedade de seus respectivos proprietários.

 

 
Paraty360° - www.paraty360.com.br - Imagens imersivas de Paraty - RJ - Brasil - Paraty360 - pousadas - restaurantes